Tudo que existe e pulsa está, de forma intrínseca, interligado. As impressões digitais e as linhas nos troncos das árvores, os desenhos dos raios no céu e as rugas ao redor dos olhos, a parte interna do pulmão e os corais do fundo do mar. Repara bem: o desenho é o mesmo. Micro e macro cosmos sendo o que são e vão ser, arte. É o que dizem as imagens produzidas para o ensaio “abstrato apetitável”. Pequenos universos feitos de luz natural. E vida em movimento.